• Revista Maxxi

48% dos municípios brasileiros não registram mortes por covid


O efeito positivo da vacinação! Pelo menos 2.500 municípios brasileiros não registraram mortes por covid-19 em agosto. É o menor nível desde dezembro de 2020.


Isso equivale a 44%, quase metade dos 5.570 municípios do país sem mortes pela doença!

Mas essa notícia boa não é para baixar guarda, mesmo porque continua crescendo a média de casos e mortes diárias.. e o Brasil ainda não sentiu todos os efeitos da variante Delta, que já assusta os Estados Unidos. (veja abaixo)


Por lá, mais crianças foram hospitalizadas com Covid-19 em agosto do que em qualquer outra época no ano passado. Entre 20 e 26 de agosto, 330 crianças deram entrada diariamente, em média, em hospitais, de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC).


Os números no Brasil


A quantidade de municípios sem mortes por covid no Brasil passou de 1.678 em julho para 2.500 no mês passado.


Os dados foram levantados pelo R7 e compilados pelo pesquisador Wesley Cota, da Universidade Federal de Viçosa, com base nas estatísticas do Ministério da Saúde.

“O isolamento está indo para um afrouxamento e na utilização das máscaras nem todos têm a usado adequadamente, então isso é resultado da vacinação”, afirma a infectologista pediátrica Claudia Maekawa Maruyama, em entrevista ao R7.


A maioria dos casos sem mortes é de cidades com menos de 50 mil moradores, entre exceções com população maior.


Em agosto, o maior município com zero vítimas foi Ubatuba, no litoral de São Paulo, com população de 91 mil.


No mês, o estado com mais cidades zeradas de mortes foi o de Minas Gerais, que teve 407 municípios dentro do levantamento.


“Apesar de não termos uma porcentagem boa de vacinados com as duas doses, a gente já se pode ver o impacto da vacinação frente às formas graves e aos óbitos”, explica infectologista pediátrica Claudia Maekawa Maruyama.


A vacinação no Brasil


A vacinação no Brasil começou no dia 17 de janeiro de 2021, quando o país já contabilizava 210 mil mortos pela doença.


Na época, o Instituto Butantan importou as primeiras 6 milhões de doses da CoronaVac em uma colaboração com a empresa chinesa Sinovac Biotech.

Depois disso, em 100 dias de vacinação, o número de mortes por covid caiu em 65% no Brasil.


Perigo da variante Delta


No entanto, os níveis da pandemia no Brasil continuam muito altos e, somente no mês passado, mais de 20 mil pessoas perderam a vida para covid-19.


A média móvel de mortes desta quarta-feira (1º), a menor do ano até agora, ainda é de 644 óbitos por dia.


Especialistas também alertam para a variante Delta, que já tem frustrado os planos de reaberturas de outros países com cobertura vacinal maior que a do Brasil.


Um estudo da healthtech Hilab prevê que, em um cenário pessimista, os próximos meses podem trazer um aumento considerável de casos no Espírito Santo, Paraná, Roraima, Santa Catarina e o Distrito Federal por causa desta mutação do novo coronavírus.


“Os estados que sofrerão mais podem ser que cheguem a curvas equivalentes [das ondas anteriores da covid]”, alerta o diretor médico da Hilab, Bernardo Almeida.


Ele ainda argumenta que o Brasil ainda não sofreu com os efeitos da variante Delta depois de mais de três meses desde os primeiros casos devido à imunidade natural geral obtida em surtos anteriores da pandemia, que contaminaram muitos e deram anticorpos àqueles que se recuperaram.


Desde o início da pandemia, 581.150 brasileiros morreram por conta da covid-19 e outros 20,8 milhões foram infectados.


Então, se liga para não virar estatística e faça a sua parte! Se cuide!


Fonte: Só Notícia Boa Com informações do R7


Foto: Alex Borgmann