• Revista Maxxi

Adauto Scardoelli fala de seus planos para governar Matão

É grande a lista de competências estabelecidas pela Constituição Federal para os municípios. Entre elas, instituir e arrecadar tributos, bem como, gerenciar e aplicar essas rendas de forma que venha a reverter em benefício da população. Programas de educação infantil e ensino fundamental, além do atendimento à saúde, devem contar com a colaboração de Estados e União, o que faz com que este relacionamento - Estado e União - precise ser o melhor possível. O prefeito é o titular do Poder Executivo do município e a ele cabe a responsabilidade de implantar políticas públicas decorrentes destas exigências da constituição.

Em Matão, com 44,42% dos votos válidos, que totalizaram 18.410, teremos o retorno de Adauto Scardoelli, do Partido dos Trabalhadores, à Prefeitura Municipal. Em um momento extremamente difícil, ainda em meio a uma pandemia, mas com a experiência de quem já administrou o município em outros três mandatos, Adauto despontou como líder na preferência desde o momento que sua candidatura foi lançada oficialmente.

Nesta entrevista, o prefeito eleito, fala entre outras coisas, sobre os motivos que o levaram a se candidatar novamente, como irá compor o seu secretariado, o que pretende fazer para gerar empregos e renda e como espera ser o relacionamento com as demais esferas de governo. Vale a pena conferir.


MAXXI: O que motivou o senhor a se candidatar novamente a Prefeito de Matão?

ADAUTO: Olha, a vida da gente, de qualquer ser humano, é feita de desafios, não é? Desde os 14 anos sempre tive uma militância em movimentos estudantis, fui presidente do Centro Acadêmico de Matemática e Física da PUC por três mandatos (de 1973 a 1976); participei Diretório Central dos Estudantes da PUC, da União Estadual dos Estudantes, até construirmos a União Nacional dos Estudantes. Depois entrei para vida política partidária, com a filiação ao PT, em 10 de fevereiro de 1980, onde estou e tenho militância ativa até hoje. Inicialmente, em São Paulo, também em Taquaritinga, e aí mudei definitivamente para Matão. Vim para Matão em 1984 como Diretor da antiga Faculdade AMES (Associação Matonense de Ensino Superior) onde hoje funciona a Escola Técnica Dr. Sylvio de Mattos Carvalho. A partir de então, tive essa relação com Matão e obviamente, depois disso, eu entrei na política, vencendo as eleições de 1996, 2004 e 2008. E agora, quis a história, que, graças a Deus, com 67 anos, e ainda em condições de ajudar Matão, decidi com minha família, com meus amigos, com meus companheiros, aceitar esse desafio e, graças a Deus, saí vitorioso ao lado do meu vice Cido Ferrari. A partir de 1º de janeiro vamos novamente cuidar com muito carinho da nossa querida Matão. Aliás, quero agradecer o meu querido povo de Matão que me deu a honra de governar a nossa cidade pelo quarto mandato. Tenham a certeza de que vamos trabalhar muito para construir um futuro melhor e devolver o orgulho de viver na nossa cidade.

MAXXI: A sua experiência de ter sido prefeito por três mandatos facilita, o senhor já sabe o caminho das pedras para esse quarto mandato?

ADAUTO: Sem dúvida, a vida ensina né, e, obviamente, a gente aprende mais com os erros. Ao analisar a história e a vida, aquilo que a gente não acertou, obviamente, a gente procura melhorar. E aquilo que deu certo, a gente procura fazer de novo no mesmo caminho. Então, por ter sido prefeito por três mandatos eu tenho essa experiência. Mas cada momento tem o seu momento, ou seja, a realidade mundial, nacional, do estado e a realidade da Prefeitura é completamente diferente do que era em 1997 a 2000, 2004 a 2008 e 2009 a 2012. Mas a essência da gestão, a essência da relação com a população, essa não muda. Ou você tem essa relação ou constrói essa relação no governo, ouvindo o povo. Tendo seu plano de governo com os objetivos claros e definidos você vai colocar em prática. E a experiência me ajuda nisso sem dúvida nenhuma.


MAXXI: Num momento pós-pandemia, o que deve ser feito na infraestrutura e na geração de empregos e renda para alavancar o desenvolvimento de Matão?

ADAUTO: Olha, a pandemia colocou o mundo numa situação diferente, que nós não tínhamos vivido né. Ela é um desafio para todos, e principalmente, essa questão, ela vem da parte nacional, ou seja, o país como um todo. O Brasil tem que ter um rearranjo geopolítico no mundo de tal maneira que a gente fique inserido no setor dos países que possam se desenvolver, gerar emprego, gerar renda, e essa conjuntura nacional, ela reflete nos estados, na geração de emprego e renda, hora se reflete também nos municípios. Eu espero que o governo federal e o governo estadual tomem as medidas corretas, no sentido de que o Brasil volte a retomar o desenvolvimento e obviamente terá reflexo no nosso município. E o que cabe ao poder público é ser indutor, motivador, organizador e deixar a cidade em condições para que o desenvolvimento e a geração de empregos aconteçam.

MAXXI: Sendo Educação e Saúde áreas consideradas prioritárias, o que a população pode esperar da administração Adauto Scardoelli a curto prazo?

ADAUTO: Sem dúvida saúde e educação são fundamentais. E no momento de pandemia, é obvio, não fazendo uma ordem de valores, a saúde tem prioridade número 1 e é a primeira coisa que vou cuidar. Eu ainda não sei dos dados, vou me inteirar no mês de janeiro, mas o que tenho sentido e notado falando com a população é de que a rede da saúde pública da nossa cidade está completamente desorganizada, precisa ter um arranjo imediato para que ela passe a funcionar, ou seja, atender o cidadão, contratar médicos emergencialmente, comprar remédios e colocar nos postos de saúde, ou seja, nós temos uma estrutura física excelente na nossa cidade, os postos de saúde, os prédios da Estratégia Saúde da Família, enfim, um hospital importante de altíssima qualidade (e essa parceria vai continuar). De imediato é isso, é chegar, detectar os problemas e colocar para funcionar. Tem muita coisa que existe, mas não está funcionando, tem que funcionar e vai funcionar.

MAXXI: Sabemos que enquanto não tivermos uma vacina não estaremos livres do coronavírus. Para o senhor o combate à pandemia e as medidas de prevenção a Covid-19 em Matão foram eficientes? O que faria diferente?

ADAUTO: Olha, a gente aprendeu na vida que você não governa olhando para o retrovisor. Ai você realmente não anda para frente. Então eu prefiro não fazer nenhum juízo de valor, isso a população fez agora na eleição, com o resultado das urnas. Então, eu pretendo chegar lá, e o que estiver sendo feito que é bom, eu vou continuar. Evidentemente, não vou mexer naquilo que está dando certo, e aquilo que precisar fazer para colocar no caminho correto, eu vou fazer, principalmente quanto às medidas de segurança, que são fundamentais porque elas dizem respeito à vida e a vida é prioridade número um de qualquer ser humano. Portanto, cuidar da saúde é cuidar da vida, e é o que eu vou fazer.

MAXXI: Nos mandatos anteriores o senhor contava com o apoio do governo federal, com Lula e Dilma. Sabemos que o atual presidente não é muito dado ao diálogo com partidos que ele considera adversários. Como acredita que vai ser a relação entre Matão e a Presidência da República?

ADAUTO: Muito tranquila, porque eu fui prefeito, por exemplo, entre 1997 e 2000 com o Fernando Henrique como presidente e não tive problema nenhum, porque quando você está no governo você tem de governar para a população como um todo. Eu sou santista, mas vou governar para os palmeirenses, corintianos, são-paulinos, enfim, para todo mundo. A relação do governo é uma relação institucional e eu creio que o presidente da república tenha essa postura, tem que ter, porque é função do cargo, em relação aos governadores e aos prefeitos. E o que eu aprendi nos meus três mandatos é que o importante, quer em São Paulo quer em Brasília, que o prefeito tenha projeto claro, definido, certo, sabendo direitinho o que quer e para o que é. Se o prefeito tiver projetos ele chega lá e arruma recursos. E aí nós estamos com as portas abertas, para termos auxílio de deputados de todos os partidos, senadores, enfim, junto ao governo do estado e ao governo federal. E o povo me conhece, eu vou batalhar, vou em cima, tenho projetos e os que não tiver vamos mandar fazer e vamos lá buscar os recursos que o povo de Matão merece.


MAXXI: Uma das expectativas das pessoas é como o senhor vai compor sua equipe executiva. Quais são os critérios que pretende utilizar para fazer as nomeações?

ADAUTO: Bom, o povo de Matão me conhece, basta ver como eu fiz nos três mandatos, ou seja, pessoas competentes, que trabalham, que vão lá e se dedicam integralmente ao cargo que estão ocupando. Sempre tive uma relação de respeito junto ao funcionário público e espero continuar, respeitosa e de diálogo. Vou aproveitar algumas pessoas, evidentemente, que já participaram da minha equipe nos outros mandatos. Estou dialogando com as pessoas, um não pode mais por questão de idade, saúde, por ter arrumado outro emprego, enfim, mas isso não é problema, pois temos pessoas qualificadas, de altíssimo nível, não só no meu partido, evidentemente. Sempre governei de forma aberta e democrática, com a participação de todos e será assim, se Deus quiser, nesse quarto mandato.


MAXXI: Como será o diálogo com as frentes políticas de Matão? É possível que candidatos derrotados na eleição para prefeito venham fazer parte da sua administração?

ADAUTO: Como eu disse, ninguém governa sozinho, e todos os partidos políticos sabem da minha relação aberta, democrática, quando é para o bem de Matão. O diálogo sempre será permanente, sempre será, evidentemente, com todas as forças políticas que queiram conversar e dialogar. Vou estar aberto a esse diálogo porque os interesses de Matão estão acima de tudo. Quando ele for positivo e próximo, ele vai se dar. E o mais importante, a população tem que acompanhar isso, porque não é você dialogar com o partido A ou B, é você dialogar em cima de uma proposta, em cima de um programa, de um projeto. Nesse sentido, o interesse do povo de Matão estará acima de tudo. Vou procurar conduzir essa negociação com muita transparência, com muita lealdade e tenho certeza de que teremos a somatórias das mais diversas forças políticas, unidas para cuidar com muito carinho da nossa querida Matão.


MAXXI: O que senhor achou da composição da Câmara? Quais as expectativas em relação aos vereadores eleitos?

ADAUTO: Quero aproveitar a oportunidade e parabenizar primeiro todas as pessoas que concorreram ao Legislativo. Importante ressaltar que o poder legislativo é importantíssimo. A democracia tem um tripé de sustentação, ou seja, a existência dela é executivo, legislativo e judiciário que são poderes independentes, autônomos. Então, meu abraço a todos que se candidataram e, em especial, aos 11 que foram eleitos, todos com condições. A democracia é isso, é o povo que elege os vereadores, como foi o povo que me deu a vitória. Portanto, estou muito feliz com a composição da Câmara. Parabéns aos vereadores eleitos, parabéns àqueles que participaram e não foram eleitos. Já iniciei vários diálogos e todos no sentido de que o que é bom para Matão eles vão apoiar, vão participar e, logicamente, com o respeito que sempre deve haver, com autonomia entre o executivo e o legislativo. Tenho certeza que poderei contar com o conjunto dos nossos vereadores, com o poder legislativo de Matão. Vamos estar todos unidos, no sentido de cuidar de Matão com carinho, de resgatar a autoestima do povo, ou seja, de fazer com que a cidade se desenvolva, cresça e prospere. Hoje não tem mais espaço, e a história está mostrando, para a pequena política, para picuinha. Temos que pensar exatamente aquilo que vai beneficiar o nosso povo. Então eu conto com o legislativo e todos os vereadores sabem que nós teremos um canal de diálogo permanente em benefício do povo de Matão.


MAXXI: Como é que senhor imagina a realidade de Matão daqui há quatro anos?

ADAUTO: Eu imagino e espero que ela esteja muito melhor do que está hoje. Mais cuidada, próspera, alegre, feliz, e para isso eu vou trabalhar. É lógico que não existe exercício de futurologia, mas o povo sabe que a minha disposição é trabalhar vinte e quatro horas por dia para deixar nossa cidade, não daqui a quatro anos, mas cada dia melhor, cada hora melhor, cada minuto melhor. Quando a gente coloca remédio no posto de saúde que não tem, isso já melhora a vida das pessoas. Quando a gente cuida da praça, isso melhora o ambiente em torno da casa da pessoa. Nesse sentido, de imediato, vou voltar com o Programa Boa Praça. O início do governo será focado na reestruturação, evidentemente, da rede de saúde, da educação, ou seja, vou colocar tudo para funcionar e, voltar, imediatamente com o Boa Praça que é geração de emprego e renda para os idosos, um programa socioambiental, que cuida do meio ambiente. Vamos começar por esse primeiro projeto, ou seja, retomar aquilo que já existia quando eu era prefeito, para que a gente, no curso do governo, vá implantando as outras políticas, os outros programas sociais. Inclusive, já arrumei várias emendas parlamentares, já falei com vários deputados federais e estamos correndo atrás dessas emendas, para que tenhamos recursos para terminar as obras que foram iniciadas e paralisadas, melhor dizendo, não tocadas, pois tem obras que há quatro anos não recebeu nenhum tijolinho, então nós vamos retomar com planejamento e seriedade para que a gente possa cuidar com muito carinho da nossa querida Matão.

POR REDAÇÃO/REVISTA MAXXI


Adauto Scardoelli, com o Vice Prefeito Cido Ferrari