top of page
  • Foto do escritorRevista Maxxi

Aluna com paralisia cerebral se forma na universidade e contraria médicos


A estudante Emanuelle Aguiar, 29 anos, quebrou todas as barreiras e se tornou a primeira aluna com paralisia cerebral a se formar na Universidade Federal do Paraná (UFPR).

E o sonho da futura professora é voltar para a universidade e dar aula, agora que está formada. O diploma foi como lavar a alma para ela, que teve um diagnóstico médico horrível quando era criança: iria vegetar.


“A menina que segundo o médico, não iria andar, nem falar, que seria um “alface” retirou hoje seu diploma de educadora geógrafa”, escreveu Manu em publicação emocionante em seu Instagram.


Inclusão de para PCD


Manu resistiu ao capacitismo e ela promete lutar para que o futuro seja cada vez mais inclusivo para as pessoas com deficiência.


Aluna ingressou na UFPR em 2016, por meio da política de cotas destinadas a pessoas com deficiência e lembra de alguns desafios pela falta de acessibilidade na instituição.

“Os desafios sempre estão presentes na minha vida, já que historicamente os espaços não são pensados para pessoas com deficiência”, lembrou.


Futura professora


Na mesma publicação emocionante que soltou em seu Instagram sobre a sua formação, Manu ressalta que pretende voltar para a universidade, mas desta vez, para dar aula!

“Obrigada, UFPR Litoral. Essa instituição que me transformou em uma outra ser humana. Como sempre digo: eu vou, mas eu logo volto”, prometeu.

Ela ainda falou sobre a importância da educação inclusiva.

“Meus diplomas serão o meu instrumento para provar que a educação inclusiva é, sim, o caminho para o sucesso da inclusão de pessoas com deficiência. Recebi o meu diploma um dia antes do Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência. Para deixar claro, aquilo que a geografia e o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra me ensinou: ‘só a luta por nossos direitos faz valer’”.


Só Notícia Boa/Com informações do RicMais

Foto: Redes Sociais

bottom of page