top of page
  • Foto do escritorRevista Maxxi

Aos 71, idosa entra na escola para aprender a ler e escrever: “sonho”


Entrar na escola para abandonar o fantasma do analfabetismo e aprender a ler e escrever. Um sonho simples que foi roubado de milhares de brasileiros que precisaram trabalhar na infância e não puderam estudar. Mas a aposentada Sonia Teresinha dos Santos decidiu mudar o rumo dessa história aos 71 anos.


Mãe de sete filhos, ela finalmente entrou na escola, em São Gabriel, no Rio Grande do Sul e comemorou: “Sempre quis estudar, mas nunca tive oportunidade”.


Nunca é tarde para realizar um sonho! E a convivência dela com as crianças na sala de aula e com a professora está animando e servindo de incentivo a todos!


Surpresa na cidade


O secretário de educação da cidade, Edjor Borges, disse que a matrícula da dona Sônia alegrou toda a equipe da secretaria.

“Olha, tem uma senhora de 71 anos que quer fazer o primeiro ano, como que a gente procede?’ Libera, faz o que tiver que fazer, não tem como não ficar feliz com esse tipo de coisa”, contou.


Muito animada


E a moradora da localidade de Cerrito, na Zona Rural de São Gabriel, está muito animada com as aulas.


Dona Sônia acorda cedo, antes das 6h para cuidar da casa e aí espera ansiosa a hora mais importante do dia: a de ir para a escola.


“Quando eu era criança, a gente tinha que trabalhar pra ajudar os irmãos, que era um monte. Depois agarrei casa, me enchi de filho. Eu tive cinco filhos homens e duas gurias. E sempre trabalhando pra ajudar a criar eles [sic], pra ser uma pessoa hoje”, lembrou.


Motivação na escola


A professora Silene Moreira Duarte disse que a presença da idosa é vista como motivação para o trabalho e também para o aprendizado dos alunos.


“Isso veio pra fortalecer, a gente ficou desmotivado [na pandemia], os alunos em casa com bastante dificuldade. Aí aparece essa pessoa especial na nossa vida, foi pra dar um salto no meu trabalho”, afirmou.


E a nova aluna é muito querida na sala de aula.

“Ela é a colega que todo mundo ama. Quando a gente não sabe a folha, ela sabe. Aí eu ajudo ela quando ela se perde, quando eu estou do lado dela”, disse o coleguinha de 6 anos, Murilo de Godoy.


Sobre dificuldades?


Dona Sônia sabe que terá dificuldades pela frente, mas usa lições da própria vida para jamais desistir desse sonho de estudar:


“Não, não desisto. A gente tem que ir caminhando em frente né? Se a gente parar, fica até entrevado, não caminha, tem que andar sempre”, finalizou.


Isso mesmo dona Sônia! sua história é inspiração para milhares de brasileiros, que também não conseguiram estudar. Quem sabe mais algum se anima ao saber essa reportagem, né?

Bravo! Seja feliz!


Só Notícia Boa/Com informações do Correio dos Campos

Foto: reprodução / RBSTV

bottom of page