• Revista Maxxi

Apesar do avanço da covid-19, estados mantêm aula presencial


A disseminação da variante Ômicron no país causou uma explosão no número de casos de covid-19. Entretanto, a maioria dos estados iniciou, ou vai iniciar, o ano letivo com aulas presenciais.


Nos estados em que o calendário está mantido com atividades nas escolas, são adotados protocolos como uso obrigatório de máscara, disponibilização de álcool em gel, medição da temperatura dos estudantes e trabalhadores e distanciamento mínimo entre carteiras.


Contudo, alguns estados resolveram adiar o início das aulas em razão do crescimento dos casos de covid-19 e da situação epidemiológica local, como Amazonas e Rio Grande do Norte.


A recomendação dos governos estaduais, na maioria das vezes, é a vacinação dos alunos, como São Paulo, Ceará, Amapá e Paraíba, os quais vão exigir a comprovação de conclusão do ciclo vacinal para a frequência às aulas.


Os critérios para exigência de comprovante de vacinação contra covid-19 variam, o que inclui distintas faixas etárias, prazos (imediatos ou com tempo para regularização) e diferentes tipos de consequências (algumas são recomendações, enquanto outras não impedem a participação nas aulas).

São Paulo


O início do ano letivo no estado de São Paulo está previsto para esta quarta-feira (2). As aulas serão presenciais, mas com respeito a protocolos, oferecimento de álcool em gel, exigência de uso de máscaras, aferição de temperatura e higienização das mãos. Os responsáveis pelos alunos devem apresentar comprovante de vacinação. Aqueles que tiverem contraindicação devem apresentar atestado, e o responsável terá até 60 dias para regularizar a situação.


João Sanita/Com informações da Agência Brasil