• Revista Maxxi

Dia Mundial da Alfabetização é celebrado hoje


No Dia Mundial da Alfabetização, celebrado hoje (8), os dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) são preocupantes. São crianças e adolescentes de 15 anos ou mais que não são capazes de ler ou escrever um bilhete simples.


Pelo Plano Nacional de Educação (PNE), Lei 13.005/2014, que estabelece o que deve ser feito para melhorar a educação no país até 2024, desde o ensino infantil até a pós-graduação, o Brasil deve zerar a taxa de analfabetismo até 2024.

Sala Virtual


Devido a pandemia do covid-19 que assolou o mundo, todos os ambientes nos quais fosse possível socializar e fazer contato com outros indivíduos foram fechados. Assim, as escolas adotaram o ensino remoto como forma de promover o distanciamento social em um ambiente que gera muito contato.


Um estudo encomendado ao Datafolha pela Fundação Lemann, o Itaú Social e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), revelado em junho deste ano, mostrou que mais da metade (51%) das crianças em processo de alfabetização em instituições de ensino da rede pública brasileira ficaram na mesma etapa de aprendizagem, ou seja, não conseguiram aprender nada novo durante a pandemia.


A disparidade da percepção de aprendizado entre estudantes brancos e negros é perceptível, segundo os dados da pesquisa. Enquanto 57% dos estudantes brancos teriam aprendido algo novo, segundo pais e responsáveis, o número dos estudantes negros cai para 41%.

Alfabetização


A alfabetização exige que um professor esteja presente, isso se deve ao fato de que gestos, movimentos labiais e materiais didáticos têm impacto na aprendizagem de crianças e adolescentes. No ensino remoto esses elementos se perdem e os dados mostram de forma clara e objetiva que, nos primeiros anos da educação infantil e posteriormente o ensino fundamental, prejuízos econômicos, educacionais e sociais vão se estender ao longo da vida dos indivíduos.


Aos poucos, conforme avança a vacinação no país, as escolas estão retomando as aulas presenciais, mesmo que de forma híbrida, onde o ensino remoto ocorre em conjunto com o ensino presencial. Segundo uma pesquisa da Unicef, divulgada este ano, o número de crianças e adolescentes sem acesso à educação no Brasil aumentou de 1,1 milhão em 2019 para 5,1 milhão em 2020. Do todo, 41% têm entre 6 e 10 anos, faixa etária em que ocorre a alfabetização.


Ministério da Educação


A plataforma desenvolvida pelo MEC, intitulada de Sistema Online de Recursos para a Alfabetização (Sora), lançada no dia 30 de junho deste ano, tem o intuito de apoiar o trabalho de professores e profissionais da educação no planejamento e execução de atividades de ensino para alunos que estão aprendendo a ler e escrever.

É possível encontrar na plataforma estratégias de ensino e como o conteúdo pode ser ensinado de forma que fique de fácil entendimento. Há também atividades que podem ser aplicadas em sala de aula e ferramentas que são utilizadas para consolidar a aprendizagem dos conteúdos.


A plataforma também disponibiliza recursos adicionais que auxiliam os professores, como por exemplo, imagens que ajudam a fixar as letras do alfabeto. Um novo módulo será incluído, no qual sugestões de avaliações serão disponibilizadas para verificar a aprendizagem do aluno.


João Sanita/Com informações da Agência Brasil