top of page
  • Foto do escritorRevista Maxxi

ENEM: veja as principais dicas para a redação


O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) está próximo e a redação é parte fundamental para compor a nota final do candidato. Assim, a Revista Maxxi, baseada em informações de professores de língua portuguesa, separou 10 erros cometidos na redação que podem ser evitados.


Confira:


Argumentação no parágrafo introdutório


O parágrafo introdutório deve ser estruturado de forma que contenha sua tese e seu posicionamento quanto ao tema. É necessário apresentar o tema de forma clara e objetiva, evitando os argumentos que defendem seu ponto de vista.


Ausência de conectivos entre períodos e parágrafos


É comum não utilizar conjunções ou outro conectivo que faça uma ligação entre as orações, períodos ou até mesmo os parágrafos do texto. Entretanto, é necessário fazer o uso destes para que as ideias não fiquem desconexas e mostram sempre uma conexão entre os parágrafos e orações.


Repetição de palavras


Repetir palavras em um espaço curto durante seu texto demonstra falta de repertório de sinônimos que substituam a palavra. Enriquecer o hábito diário de leitura, desde jornais online ou impressos a livros, artigos e revistas auxiliam no enriquecimento do vocabulário.


Frases Longas


Uma boa redação para o ENEM possui frases curtas, claras e objetivas que expressem sua ideia e que estejam conectadas. Frases longas fazem com que o raciocínio se perca e não consiga encerrar o período de forma coesa.


Uso de palavras genérica


É importante ter precisão vocabular em uma redação de vestibular, assim, evitar o uso de palavras com sentido genérico, como “coisa”, “negócio”, “nenhum”, “todo” ou até mesmo expressões como “todas as pessoas do mundo sabem disso” são de extrema importância. A especificidade dá clareza ao texto.


Emprego de verbos “bengala”


Verbos “bengala” são aqueles que servem para uma série de situações, sem dar um sentido específico à oração, como “ter” e “dar”, os quais podem substituir “possuir” ou “entregar”. Esses devem ser evitados e substituídos por sinônimos que tragam o mesmo sentido à frase.


Uso repetido de “que” em uma mesma oração


Um vício de linguagem comum de ser encontrado é o uso excessivo do “que” em redações. Caso seja usado como pronome relativo, pode ser substituído por “o qual”, “onde” ou a estrutura da oração pode ser rearranjada para que não haja nem um nem o outro.


Pronome possessivo empregado de forma equivocada


Pronomes possessivos devem ser usados com cuidado para que não sejam causadores de ambiguidade no texto, ou seja, possibilitando a interpretação de duplo sentido. Dessa forma, em vez de “O prefeito e o governador se reuniram em seu gabinete” (não se sabe no gabinete de quem), podemos escrever da seguinte forma: “Em seu gabinete, o prefeito recebeu o governador para uma reunião”.


Ausência de referência na introdução do texto


Um ponto importante na redação do ENEM é a utilização de referências que possam sustentar sua tese, como filmes, séries, livros, filósofos, sociólogos, fatos históricos entre outros. Essas referências devem estar no parágrafo inicial, dando embasamento e tirando o texto da superficialidade.


Ausência de propostas concretas de resolução do problema proposto


Muitas vezes os candidatos propõem a intervenção sem poder de argumentação, propondo soluções rasas ao problema apresentado. Utilize soluções concretas e objetivas para responder aos questionamentos do texto, evitando abstrações e respostas rasas ao escrever a proposta de intervenção.


O ENEM ocorrerá nos dias 21 e 28 de novembro e será feito de forma regular e digital; ambas as provas acontecem na mesma data.


João Sanita





bottom of page