• Revista Maxxi

Ensino e pesquisa devem caminhar juntos

Na sociedade contemporânea observa-se o crescimento de uma geração que usa frequentemente a Internet como meio de busca de informações e de se relacionar com outras pessoas. Na cultura digital há o manuseio de WhatsApp, Youtube, Facebook, Instagram, Google, Blogs, jogos virtuais que se tornam verdadeiras manias.

O grande desafio de educadores, pesquisadores, é compreender de que forma as tecnologias da informação e comunicação podem ser utilizadas como meio de auxílio para o desenvolvimento do ensino. Uma vez que entendemos como Freire, que: "Não há ensino sem pesquisa e pesquisa sem ensino".

O ensino precisa ser centrado na pesquisa, e isso pressupõe os atos de desconstruir e reconstruir permanentes por meio da investigação, dos questionamentos que devem estar presentes em todas as fases educativas – da educação infantil à pós-graduação – e tudo isso requer habilidades, envolve competências e, principalmente a humildade para questionar o que se sabe, e reelaborar saberes.

Como afirma Castells (2003), a questão crítica é mudar [...] e aprender, uma vez que a maior parte da informação [estará] on-line e, o que realmente [será] necessário é a habilidade para decidir o que pesquisar, como obter isso, como processar e usar para a tarefa específica que provocou a busca de informação. Em outras palavras, o novo aprendizado é orientado para o desenvolvimento da capacidade educacional de transformar informação e conhecimento em ação.

Partindo do pressuposto de que somos produtores de informação e não simplesmente passivos consumidores, é preciso criar estratégias de uso das informações que poderão ser encontradas. Na rede, aprender é descobrir significados, elaborar novas sínteses e novos questionamentos relacionados à realidade.

Quando entendemos a importância da pesquisa como base da construção do conhecimento, compreendemos também que por meio dela desenvolvemos a criticidade e somos capazes de transformar o contexto em que estamos inseridos.

Assim, as considerações são de que na contemporaneidade, as mudanças acontecem de forma acelerada e como consequência criam novas maneiras de pensamento e vivências. É preciso ter perspicácia para entender o que acontece ao nosso redor. Ser flexível e estar aberto às mudanças e, concomitantemente buscar caminhos para unir cada vez mais ensino e pesquisa.


Por Débora Milani: Pedagoga, Psicopedagoga e Doutora em Educação Escolar


15 visualizações0 comentário

(16) 3383-9092 | (16) 99151-5077

  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

SITE POR @HIBOUPROPAGANDA