• Revista Maxxi

Estado prorroga fase emergencial até 11 de abril


O governo do Estado de São Paulo anunciou nesta sexta-feira (26) a prorrogação da fase emergencial, que a princípio iria até o dia 30, porém, com índices críticos de sobrecarga em hospitais, as restrições mais severas foram prorrogadas até dia 11 de abril, com regras mais rígidas para ampliar o distanciamento social e reduzir a circulação urbana.


Com a não participação do governador João Doria (PSDB) na coletiva de hoje, coube ao vice-governador e Secretário de Governo Rodrigo Garcia, anunciar e justificar as medidas. "Em virtude dos números da pandemia e da insistência do crescimento da pandemia, apesar de todas as medidas adotadas, o Governo de São Paulo prorroga até o dia 11 de abril a fase emergencial".


REGRAS

Entre as medidas da fase emergencial, está a suspensão de funcionamento de igrejas e também a interrupção de campeonatos esportivos, como o futebol. O teletrabalho também é obrigatório para todas as atividades administrativas não essenciais.

A imposição vale tanto para órgãos públicos como escritórios particulares e serviços de call center. Todas as medidas da fase emergencial visam reduzir a circulação de ao menos 4 milhões de pessoas por meio das restrições adicionais. Entre as medidas, está também o toque de restrição, que vale das 20h às 5h.

A restrição completa proíbe retirada presencial de produtos em restaurantes e lanchonetes, atendimento presencial em lojas de material de construção e veta celebrações religiosas coletivas e atividades esportivas em grupo.

Lojas e restaurantes só podem fazer entregas pelo sistema em que o consumidor recebe o produto dentro de seu veículo (drive thru), entre 5h e 20h, ou por serviços de entrega na residência (delivery) por telefone ou aplicativo de internet.

O uso de praias e parques também é proibido. Na rede estadual, as escolas ficam abertas apenas para distribuição de merenda.