• Revista Maxxi

Mulher aprende a escrever aos 50 e ganha concurso de poesia


Após anos de dificuldades, a faxineira Nilza Marques, de 50 anos, voltou para a escola, aprendeu a escrever e hoje comemora a vitória de um concurso literário, com um poema que conta a história da vida dela.


Nilza vive em Venâncio Aires, no Rio Grande do Sul. Ela voltou para a escola por incentivo da família da casa onde trabalhava. Através do programa Educação de Jovens e Adultos (EJA), a faxineira teve a oportunidade de recuperar todos os anos de estudo perdidos do passado.


Já a participação do concurso, foi um incentivo da professora dela, Silvania Carvalho, que viu o quanto Nilza era esforçada e gostava de escrever. Para a educadora, o prêmio representa a muito para Nilza.


Passado difícil


Nilza começou a trabalhar aos 7 anos, quando pegou na enxada pela primeira vez e foi trabalhar na roça. Aos 12 anos, ela passou a ficar em casa para cuidar dos 8 irmãos, enquanto a mãe trabalhava para sustentar a família.


Quando Nilza chegou aos 18, ela dividia o dia entre dois trabalhos: de dia carregava fardos de tabaco em uma fumageira e, durante a noite era babá em uma casa de família.


Educação


Foi por incentivo dos patrões que Nilza voltou para a escola. Durante quatro anos, a faxineira se dedicou à alfabetização e ela viu sua vida mudar.


O destino dos ônibus passou a ficar mais claro, os preços dos alimentos foram revelados e a alfabetização a fez entender e escrever sobre o passado dela.


“Aprendi muita coisa e quero aprender muito mais”, disse Nilza, que tem o apoio de colegas e dos chefes do laboratório Gassen, de Venâncio Aires, onde trabalha como faxineira.


“Tenho muito a aprender no EJA, mais dois ou três anos, e depois eu vou pensar no próximo passo. Se eu tiver forças quero aprender muito mais”, prometeu


Vitória em concurso


Foi com o incentivo a professora, que Nilza se inscreveu no 12º Concurso Literário de Venâncio Aires, realizado durante 22ª Feira do Livro. O poema Recomeçar, foi escolhido como campeão e a vitória para a faxineira é muito maior do que muita gente imagina.


Leila Gassen, sócia-proprietária do laboratório, é testemunha do esforço de Nilza. Para ela, esse prêmio representa a grandeza da pessoa.


“Nesta idade conseguir trabalhar e se esforçar tanto, de onde ela veio, é admirável […] “Um esforço tremendo pra chegar onde chegou”, finalizou.


Fonte: Só Notícia Boa

Foto: Foto: reprodução

headbanner.png