• Revista Maxxi

Projeto ‘Arte na Praça’ promove ‘grafitagem’ em latões


Na semana anterior, o prefeito interino Aparecido Ferrari, acompanhou os artistas e arquitetos, responsáveis pelo Projeto ‘Arte na Praça’, durante a instalação dos latões personalizados de 200 litros, que servirão de lixeiras sustentáveis. Os latões foram ‘pintados’ com grafite e agora fazem parte do paisagismo das seguintes praças públicas de Matão: 4 latões na Praça do jardim São José; 3 latões na Praça do jardim Paraíso, em frente a Igreja; 2 latões na Praça do jardim Santa Rosa, ao lado da escola; 2 latões na Praça do jardim Buscardi, próximo ao condomínio do IV Centenário e uma arquibancada, também adaptada com os latões, no Parque Ecológico.


O projeto ‘Arte na Praça’ foi criado em 2018 com o intuito de revitalizar os espaços públicos da cidade de Matão e consiste em pintar e personalizar, com viés artístico, latões que possam ser reutilizados. Atualmente a iniciativa se estende para novos espaços de atuação em parceria com as Secretarias do Meio Ambiente, Saneamento e Recursos Hídricos; Educação e Cultura; Esportes, Lazer e Turismo, do município. “Iniciativas como esta são muito bem-vindas, pois conforme sempre reforça o prefeito Adauto, precisamos somar esforços em prol de melhorias para o meio ambiente e colocar em prática, boas ideias de sustentabilidade”, disse a diretora de Meio Ambiente, Maria Bellintani Ourique de Carvalho.


O projeto foi idealizado pelos estudantes de arquitetura: Dib Elias e Gabriel Lucas Batista. Participam da ilustração com grafite, os artistas matonenses: Kadinael José da Silva (Kadi); Izabele Monaliza Vituci (Mo Vituci) e Cleiton Gabriel.


“Notei que não havia lixeiras nas praças de Matão e muito lixo jogado no chão, por isso pensei em criar um projeto, que tivesse um conceito de sustentabilidade, através da reutilização de objetos. A escolha do grafite é porque essa forma de arte tem o poder da ‘manifestação cultural’, capaz de chamar a atenção de pessoas e autoridades, sobre a necessidade da sustentabilidade e da separação adequada do lixo e ainda leva cultura descentralizada”, explica Dib Elias.


Desde sua criação, o projeto ‘Arte na Praça’, antes chamado ‘Mobiliário Urbano’, utilizou-se de tambores e latões, para servirem de assentos nas praças, pintando e virando-os de boca para baixo. “E agora a proposição é transformar latões em lixeiras, o que vem ao encontro dos demais projetos que estamos implantando, com o objetivo de melhorar o direcionamento dos resíduos do lixo no município”, concluiu Maria Bellintani Ourique de Carvalho, diretora de Meio Ambiente de Matão.


Fonte: Assessoria de Imprensa da Prefeitura.