• Revista Maxxi

Queimadas assustam moradores e causam danos a saúde


Nesta segunda-feira (16), focos de incêndio na cidade de Dobrada, assustaram moradores da região pela proporção tomada pelo fogo. Imagens registradas por populares e emissoras de TV, mostraram um emaranhado de fogo, fumaça e muita poeira. Motoristas que passavam pela pista que liga Dobrada à Rodovia Faria Lima alegaram que os pés de manga situados na Pista da Mangueira, nome dado pelos moradores, foram assolados.


Durante os últimos dias em toda a região foram muitos os transtornos causados pelas queimadas. Canaviais, matas e caminhões foram atingidos e um motorista de 37 anos foi encontrado morto após um incêndio em um canavial de Luís Antônio (SP) na tarde de segunda-feira (16).


MAIOR NÚMERO DE QUEIMADAS


De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (InPe), o Brasil encerrou 2020 com o maior número de queimadas das últimas décadas. O Pantanal foi o bioma mais afetado e, só no ano passado registrou 22.119 focos de queimada, cerca de 120% a mais que em 2019. Esse foi o maior aumento de focos de incêndio de todos os biomas brasileiros.

Segundo o climatologista Carlos Nobre, membro da Academia Brasileira de Ciências e do Grupo Estratégico Da Coalização Brasil Clima, Florestas e Agricultura, “queimada” é um termo genérico para tudo que tem fogo. Não há sucesso quando a vegetação está úmida, por isso grande parte das queimadas criminosas ocorrem nos meses mais secos, como junho, julho e agosto.


PROBLEMAS RESPIRATÓRIOS


A tendência nas cidades afetadas pelas queimadas é que o número de habitantes com problemas respiratórios aumente. Os sintomas mais frequentes da inalação da fumaça dos incêndios são tosse seca, dificuldade para respirar, falta de ar, dor de cabeça, vermelhidão nos olhos, entre outros sintomas relacionados ao sistema respiratório.


Assim como nos dias de clima seco, as recomendações para diminuir os efeitos das queimadas na saúde são as mesmas. Evitar a proximidade com o foco de incêndio, manter-se hidratado, principalmente crianças menores de 5 anos e idosos maiores de 65 anos, e manter os ambientes de casa e trabalho fechados porém umidificados. Em caso de urgência, deve-se buscar ajuda médica imediatamente.