• Revista Maxxi

Vacina contra a Covid avança em Matão com 61.568 doses aplicadas


A Prefeitura, através da Secretaria Municipal da Saúde está imunizando as faixas entre 30 e 34 anos, sendo que este grupo de pessoas precisa ligar no Posto mais próximo da sua residência para agendar a vacina. Ainda esta semana chegam mais vacinas, destinadas a completar estas faixas etárias, bem como a atender a demanda de vacinação das pessoas de idade entre 60, 61 e 62 anos, que serão convocadas, pelas equipes de saúde, que ligarão em seus telefones particulares, a fim de combinar a hora e o dia para receberem a segunda dose da vacina.


"Nossas equipes de saúde estão empenhadas em vacinar toda a população, a medida que as vacinas vão chegando, cumprindo com os protocolos de higiene indicados pelo Comitê de Contingência da Covid. Queremos agradecer a todos os envolvidos e considerar que esse trabalho tem sido possível graças a colaboração daqueles que já foram vacinados", salientou Cido Ferrari.


De acordo com o calendário disponibilizado pela Secretaria de Estado da Saúde, a faixa etária de 30 a 34 anos deverá receber a primeira dose até 04 de Agosto. Em seguida serão convocados, para receberem a primeira dose, de 05 a 12 agosto, as pessoas com idade entre 25 e 29 anos e assim sucessivamente.


É importante lembrar que o governo de São Paulo pretende imunizar todas as pessoas adultas (maiores de 18 anos) até o dia 20 de agosto e para isso o Secretário da Saúde Ademir de Souza, reafirmou que as Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Matão estão preparadas tanto para receber, quanto para aplicar todas as doses que ainda faltam, assim que forem liberadas pela Secretaria de Estado da Saúde.


Até 21 de julho a cidade aplicou 61.568 doses de vacina, sendo 45.621 de primeira dose; 14.017 de segunda dose e mais 1.930 de dose única. Ainda de acordo com o Secretário de Saúde, Ademir de Souza as quantidades aplicadas se dividiram entre as marcas: 47,64% foram da vacina AstraZeneca; 39,05% da CoronaVac; 10,17% da Pfizer e 3,13% da Janssen. Sendo que esta última é de apenas uma dose.


Quem recusar a vacina disponível irá para o fim da fila e ainda terá que assinar 'Termo de Recusa e Responsabilidade'


A Secretaria de Saúde de Matão, seguindo o 'Plano Nacional e o Estadual de Imunização contra a Covid-19', não está aceitando que os pacientes escolham a marca da vacina que irão receber. Levando em consideração, que as grades de vacinas encaminhadas ao Município, já vêm direcionadas as faixas de idade, a Secretaria de Saúde exige que o paciente - que não aceitar a vacina disponível - assine o 'Termo de Recusa e Responsabilidade'.


Faz-se necessário registrar que em caso de recusa da vacina, a referida pessoa será vacinada quando encerrar o processo de vacinação da faixa de 12 anos, público já previsto para imunização no Estado de São Paulo. Ainda assim, será disponibilizada a marca da vacina de acordo com a organização do processo e não será possível a pessoa escolher uma em detrimento da outra.


Segundo o Secretário de Saúde, todas as vacinas foram aprovadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e, sem exceção, tem cada qual a sua forma e eficácia comprovada cientificamente. “Num momento tão delicado, frente a demanda existente e a necessidade de mais vacinas, não podemos permitir esse 'luxo' de escolher a marca. Isto significa falta de informação, pois só é possível tomar uma determinada vacina quando esta foi autorizada pelo Ministério da Saúde", explicou Ademir.



Qualidade inquestionável do SUS e das vacinas


Segundo a Secretaria da Saúde de Matão as vacinas adotadas pelo SUS, passaram por todas as etapas necessárias à criação de um novo imunizante e cumprem regras e critérios científicos rigorosos adotados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Esta qualidade científica é comprovada a partir dos números da redução de casos e de mortes, cujo resultado está diretamente ligado ao avanço da vacinação. "Por isso a discussão, de que eventualmente um paciente possa fazer exames de anticorpos e demonstrar ineficiência da vacina, é relativa e não condiz com a verdade, pois está comprovado cientificamente pela Anvisa, que todas as 5 vacinas autorizadas pelo Ministério da Saúde, tem efeito direto na proteção contra o Corovírus e na redução dos casos de contaminação e de óbitos", conclui o Secretário da Saúde Ademir de Souza.


Fonte: Assessoria de Imprensa da Prefeitura